Assista ao vídeo acima e fale sobre isso com um grupo ou mentor. Saiba mais.

Os seguidores de Jesus sabem quem eles pensam que ele era, mas e o próprio Jesus? Ele realmente queria que as pessoas acreditassem que ele era Deus, ou os cristãos posteriores inventaram essa ideia sobre ele?

Pontos chave:

  • Jesus afirmou ser o messias (que significa “ungido” ou “escolhido”). Os judeus esperavam que esse messias trouxesse a vitória militar e a renovação espiritual a Israel (Zacarias 9: 9).
  • Jesus afirmou ser o filho de Deus em um sentido único (Mateus 21: 33-46). Não “um” filho do homem, mas “o” filho do homem (Daniel 7: 13-14; Mark 14: 61-62).
  • Ao se chamar de messias, o filho de Deus e o filho do homem, Jesus estava reivindicando ser o próprio Deus que seus acusadores adoravam.
  • Jesus também reivindicou autoridade para realizar milagres, expulsar demônios, rever a Lei de Moisés (“Torá”) e perdoar pecados.
  • O auto-entendimento de Jesus não pode ser reduzido simplesmente ao de um professor judeu ou de um líder carismático. Ele se comportou muito mais e alegou ser muito mais.

Citar isto:

Mark 8: 29 E ele perguntou-lhes: "Mas quem dizes que sou eu?" Pedro lhe respondeu: "Tu és o Cristo".

Veja também: Apologética, Fé Investigadora, Novo Testamento, Céticos

Fale sobre isso
  1. Qual é a sua reação inicial a esse tópico? O que pulou em você?
  2. Leia Mateus 21: 33-46. Qual você acha que é o ponto dessa parábola de Jesus?
  3. Leia Daniel 7: 13-14 e Mark 14: 61-62. Por que você acha que Jesus se refere a si mesmo como o filho do homem?
  4. Por que você acha que Jesus foi tão contestado pelos líderes judeus em Israel?
  5. Leia Mark 8: 29. Quem você diz que Jesus é? Por quê?
  6. Escreva uma etapa de ação pessoal com base nessa conversa.